Ferramentas digitais ajudam a dominar questões de linguagem no Enem

A divulgação das datas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) aumentou ainda mais a preocupação dos estudantes com a prova. Desde 2009, ano em que foi remodelado, o exame passou a exigir dos candidatos muito mais capacidade de interpretação de texto. Quem já fez a prova nesta nova fase sabe que questões de biologia e física, por exemplo, também exigem uma boa habilidade de leitura.

Por isso, é bastante importante que os alunos dominem e saibam identificar a presença de elementos como figuras de linguagem e sintaxe – não só nas questões de Língua Portuguesa e na redação, mas em toda a prova.

Para facilitar os estudos, existem várias ferramentas virtuais que complementam o conteúdo visto em sala de aula. Conheça algumas:

Mão segurando um lápis, com fundo desfocado, em cima de cadernos, como se estivesse escrevendo

Conheça 3 ferramentas digitais que vão lhe ajudar no estudos para a área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias do ENEM.

Flash Cards

Para quem valoriza o tradicional método de estudar com o uso de cartões de conteúdo, este aplicativo é ideal. Além de poder sincronizar os cartões em diferentes dispositivos, ele também permite a utilização de Flash para imagens em movimento.

Disponível em diversos idiomas, é bem interessante para o estudo de línguas.

Portal Descomplica

Com videoaulas ao vivo e diárias, além de testes e gabarito Enem, é uma forma interessante para reforçar o que foi visto em sala ou revisar o conteúdo em casa. Além de aulas de todas as matérias, os professores do site podem corrigir uma redação por mês de cada aluno.

Study Tracker

Ideal para essa época de vestibulares, ajuda a otimizar o tempo dedicado aos estudos. O aplicativo oferece relatórios de desempenho, comparando o tempo de aulas com as notas obtidas e demonstrando se é necessário estudar mais.

 

Aferição é o ato ou ação de aferir, ou seja, comparar alguma coisa em relação a um padrão aceito.

Por exemplo, quando um médico faz uma aferição da pressão sanguínea, ele está comparando a pressão da pessoa com o padrão aceito para os seres humanos em geral.

Não, a palavra ideia não tem mais acento agudo. Com o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, ditongos abertos “éu”, “éi”, “ói” de palavras paroxítonas perdem o acento.

Empregar a vírgula é uma das dúvidas que mais atormenta aqueles que estão aprendendo português. Nunca se sabe ao certo quando usá-la ou não. Infelizmente, o ensino das escolas também não costuma ajudar, já que os professores costumam dar dicas como “Quando há pausa na fala, usa-se vírgula”, e isso não ajuda em nada, pois cada um de nós, dependendo da região em que nasceu ou da idade, faz pausas diferentes na hora de falar.

Então como estudar os usos da vírgula? Quais as regras? Enfim, como empregá-la corretamente? Essas são questões tratadas no texto Aprenda definitivamente a usar a vírgula com 4 regras simples. Com ele você vai aprender de forma detalhada e descomplicada 4 casos em que a vírgula aparece:

  1. Na separação de elementos que você poderia listar.
  2. Na separação de explicações que estão no meio da frase.
  3. Na separação do lugar, tempo ou modo no início da frase.
  4. Na separação de orações independentes.

Leia o texto agora mesmo e nunca mais tenha dúvida na hora de fazer o uso correto dessa que é uma ferramenta essencial da língua portuguesa.

Sim. A palavra intermediário é uma paroxítona terminada em ditongo oral, portanto é acentuada.

Quer receber mais dicas de português e ainda meu livro
Como Escrever com Clareza?
Deixe seu e-mail abaixo:
Maravilha!
Verifique seu e-mail agora
Fechar

Chega de passar vergonha com ERROS DE PORTUGUÊS

Receba as dicas e macetes do prof. André Gazola em seu e-mail e nunca mais seja "O ANALFABETO" entre seus amigos.

Seu e-mail nunca será divulgado